Boletim de Comércio Exterior 04/2022

16 Maio 2022
/ Boletim de Comércio Exterior

Em foco

O Índice de preço das exportações apresentou elevação de 16,5% em março, comparado ao mesmo mês do ano anterior, em decorrência do crescimento generalizado nos preços de todas as classes de produtos. As elevações dos preços foram lideradas pelos Manufaturados (21,0%), mas as elevações nos Semimanufaturados (16,9%) e nos Básicos (15,0%), também, foram expressivas. No acumulado do primeiro trimestre de 2022, o Índice de preço para o total das exportações registrou elevação de 16,9%, e todas as classes de produto acumulam variações positivas nos preços de exportação, na comparação com o mesmo período do ano passado (Tabela I).

O quantum exportado registrou alta de 2,0% no mês, frente a março do ano passado, em virtude da elevação observada nas quantidades embarcadas de Manufaturados (10,3%), dado que as demais classes de produtos apresentaram quedas, a saber: Básicos (-1,5%) e Semimanufaturados (-0,5%) (Tabela 1 e Gráfico 1). No acumulado do primeiro trimestre de 2022 a elevação nas quantidades exportadas foi da ordem de 10,0%, em função das elevações observadas nas quantidades embarcadas de todas as classes de produtos.

Gráfico 1. Taxa de crescimento mensal e acumulado no primeiro trimestre dos Índices de quantum de exportação

Fonte: Elaborado pela Funcex a partir de dados da Secex/ME.

Os preços dos produtos importados registraram expressiva elevação em março, na comparação com o mesmo mês de 2021 (crescimento de 27,7%, como se pode observar na Tabela 2). Destaca-se, particularmente, as elevações observadas em Combustíveis (67,1%), em Bens intermediários (28,9%) e, inclusive, em Bens de consumo duráveis (15,5%). No acumulado de janeiro até março a evolução positiva dos preços de importação também foi generalizada. Ela foi liderada pela forte elevação dos preços dos Combustíveis (87,1%).

O Índice de quantum importado (Tabela 2 e Gráfico 2) apresentou redução de 5,0% no mês, em relação a março do ano passado, com destaques para os Bens de consumo duráveis (-10,5%) e Bens intermediários (-8,3%). No acumulado do ano o Índice de quantum importado apresentou queda (-2,3%), resultante, dos declínios das quantidades importadas em três das cinco grandes categorias econômicas, a saber: Os Bens de consumo duráveis (-12,9%); os Bens intermediários (-5,7%); e os Bens de Capital (-3,7%).

Gráfico 2. Taxa de crescimento mensal e acumulado no primeiro trimestre dos Índices de quantum de importação

Fonte: Elaborado pela Funcex a partir de dados da Secex/ME.

Os Termos de Troca (relação entre os preços de exportação e os preços de importação) do Brasil registraram deterioração no início de 2022. Os Termos de Troca apresentaram queda em março de 8,7%, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No primeiro trimestre de 2022, a variação também foi negativa, da ordem de 10,2%, como pode ser visto na Tabela 3.

O indicador de razão de quantum apresentado na Tabela 3 permite avaliar a evolução do saldo comercial em termos reais, ou seja, livre dos efeitos dos preços de exportação e de importação. No primeiro trimestre deste ano a razão registrou uma alta de 14,3%, em relação ao primeiro trimestre de 2021, em virtude de um aumento do quantum de exportação (10,7%) e de uma queda de 2,3% na quantidade importada no mesmo período. Como pode ser visto no Gráfico 3, o Índice de razão de quantum apresentou recuperação parcial, com relação ao resultado de 2021, contudo, permanece inferior ao alcançado no primeiro trimestre de 2020.

Gráfico 3. Índice de razão de quantum para o total brasileiro

Fonte: Elaborado pela Funcex a partir de dados da Secex/ME.

Informações disponíveis até 29/04/2022

©Copyright  |  FUNCEX  |  Todos os direitos reservados